Amesterdão é daquelas cidades que todos devemos visitar pelo menos uma vez na vida. Posso afirmar com toda a certeza que é uma das minhas capitais europeias favoritas (onde inclusivamente não me importaria de viver), não apenas pela beleza das suas ruas, como também pelos hábitos das gentes desta grande metrópole.
A minha visita a Amesterdão durou uma semana, o que me permitiu conhecer relativamente bem a cidade e ainda passear por outros locais próximos. Apesar de grande, Amesterdão tem um centro histórico e museus principais muito concentrados e está equipada com excelentes transportes públicos, com preços muito acessíveis, pelo que a deslocação pela cidade é bastante fácil. Portanto, independentemente do tempo que a tua visita durar, há 10 coisas que tens mesmo de fazer.
 
1. Passeia pelas ruas do centro
 

Sim, eu sei, digo isto para quase todas as cidades, mas se refiro é porque considero realmente importante. Em Amesterdão é muito fácil andar a pé, já que é tudo plano e relativamente perto. Passear pela cidade permite que apreciem a sua arquitectura e a beleza dos seus canais e pontes, bem como o quotidiano dos neerlandeses e toda a vida deste lugar repleto de boa energia.

 
2. Visita o mercado das flores
 
 Se há coisa bela que vão encontrar em Amesterdão, são flores – não fosse a Holanda (Países Baixos, eu sei) a “capital” da tulipa. Para quem, como eu, não vai ter hipótese de visitar o famoso parque das flores, que está aberto apenas durante a Primavera (vejam o artigo do Ducs sobre o Keukenhof, com todas as informações), esta é uma alternativa para apreciar a beleza das flores holandesas. É turístico, ok, mas pessoalmente gostei de ver e não me roubou muito tempo. No mercado vão encontrar milhares de flores, bem como os bolbos e sementes correspondentes, portanto aproveitem para comprar alguns bolbos de tulipas para plantarem ou oferecerem no regresso a casa. Garanto-vos, são lindas!
 

3. Passa pela Museumplein

 
A Museumplein é uma zona muito turística, não apenas pelo seu letreiro “I am amsterdam“, tão badalado entre as fotografias dos turistas, como pelo facto de ser uma praça central, em redor da qual se encontram os mais importantes museus de Amesterdão (plein = praça em neerlandês) – como o Rijksmuseum ou o Museu Van Gogh. Para além disso, se forem do tipo de levar sandes atrás (como eu), é um excelente sítio para pararem para almoçar, junto ao grande lago que domina toda a praça.
 
 
 
4. Aluga uma bicicleta, perde-te pela cidade e pelos seus canais
 
Em Amesterdão o trânsito não é feito de carros, mas sim de bicicletas. São tantas que chegam a ter parques de estacionamento inteiramente dedicados às mesmas. Entreguem-se ao espírito neerlandês e aluguem bicicletas, principalmente se tiverem pouco tempo para visitar a cidade. E não deixem de ler as 5 regras básicas sobre bicicletas em Amesterdão do Conexão Amsterdam, já que nesta cidade andar sobre duas rodas também está sujeito a certas regras que não vão querer quebrar.
 
 

5. Visita o Museu Van Gogh

 

Imagens daqui e daqui.

Existem vários museus em Amesterdão mas o Museu Van Gogh é aquele que considero mesmo que não podem perder. Ainda que não sejam entendidos em arte (eu não sou), digo-vos que vão adorar. Para além de ser o museu com mais obras de Vincent Van Gogh, a exposição está muito bem construída, dando uma excelente perspectiva das várias fases do pintor – abrangendo desde as suas obras mais emblemáticas a facetas menos conhecidas,  mas igualmente interessantes. Apesar da entrada ser um pouco cara (17€ actualmente) não chorei um único cêntimo, pois valeu mesmo a pena. Vejam as dicas do Ducs Amsterdam sobre como evitar filas neste museu e evitem ficar horas à espera para entrar, como me aconteceu.
 

6. Passeia pelo Vondelpark

Amesterdão está repleta de parques e jardins, mas o Vondelpark é o mais conhecido – e merecidamente. É uma imensa área verdejante no coração da cidade (do género Central Park), lindíssimo e super calmo – perfeito para um passeio, um piquenique, ou simplesmente para pararem um pouco a meio do dia, lerem um livro ou descansarem (porque viajar também implica este tipo de momentos!). Como escreveu o Ducs no artigo sobre o Vondelpark, o parque não é uma atracção turística daquelas em que se entra e faz “check” – é para apreciar, para aproveitar, pois faz parte da vida da cidade e das gentes de Amesterdão. Para além da sua beleza, tem muita história e, o melhor: a entrada é completamente gratuita!

 

7. Senta-te numa esplanada e pede uma pint

Tal como em Portugal, há dezenas de cafés em cada rua, com a diferença que os de Amesterdão têm todos um aspecto espectacularmente apetecível. A maioria tem esplanada, portanto aproveitem para fazer uma pausa, sentem-se, peçam uma cerveja (ou qualquer outra bebida, mas a cerveja é muito diferente da nossa, vale a pena experimentar) e contemplem a vida da cidade. Leiam as recomendações do Ducs sobre onde beber a melhor cerveja em Amesterdão e, se conseguirem uma esplanada junto a um dos canais, ainda melhor!

 
 

8. Visita o Museu do Sexo


Do Museu do Sexo só vos mostro esta fotografia, porque todas as outras incluem conteúdo de cariz sexual muito mais explícito. Nunca tinha visitado um museu do sexo antes deste (e nunca visitei mais nenhum depois, imagino que sejam todos semelhantes), pelo que não tenho ponto de comparação. Mas digo-vos: adorei! É super divertido mas também informativo, dedicando algumas partes da exposição ao “sexo na história”. Não é caro, não demora horas a ver e tem uma localização muito próxima da estação central de Amesterdão, portanto aproveitem e divirtam-se!

 

9. Vai ao Red Light District

A segunda fotografia é daqui.

O Red Light District merece ser visitado de dia ou de noite, mas é quando o sol se põe que a vida neste bairro é mais exuberante. Como sabem, nos Países Baixos a prostituição é legal e regulamentada, sendo um trabalho como todos os outros, sujeito a impostos, a regras, com direitos e portanto mais controlado. O Red Light District é uma zona muito turística (particularmente à noite) mas nem por isso deixa de impressionar. Independentemente de tudo aconselho-vos obviamente a visitá-lo à noite, pois para além de ser um “ícone” da noite de Amesterdão, é uma forma diferente de perspectivar a profissão, autêntico tabu em Portugal. No entanto há certas regras de que não se podem esquecer, como não fotografar as pessoas nas montras pois, para além de se poderem meter em problemas, aquele é o seu trabalho e merece o respeito de todos.
 

10. Passeia pela zona da Leidsplein

Dizer-vos para passearem pela zona da Leidsestraat e Leidseplein pode parecer um completo cliché, mas a verdade é que vale a pena. Basta verem imagens da rua e da praça para ficarem com vontade de conhecer. São zonas muito turísticas (tal como quase toda a cidade), mas, por terem imensos bares e restaurantes, têm imensa vida a qualquer hora do dia e da noite.

Numa das noites em Amesterdão assisti a um fantástico concerto de Jazz no Café Alto, um bar de Jazz & Blues muito intimista com mais de 60 anos, que tem concertos durante toda a semana e entrada gratuita. Localiza-se junto à Leidseplein e distingue-se facilmente por ter um saxofone gigante à entrada. Se gostam de jazz aconselho vivamente a que passem por lá numa das vossas noites!

E por fim…
Este é um top baseado na minha experiência. Não inclui, por exemplo, os conhecidos museus Rijksmuseum nem o Anne Frank pela simples razão de que não os visitei, pelo que obviamente não vos poderia aconselhar. Viajar é fazer sucessivas escolhas e eu optei por visitar apenas alguns museus e ter tempo para conhecer outras cidades e vilas em redor de Amesterdão, sobre as quais falarei no blog brevemente.
 

Onde dormir?

O alojamento em Amesterdão é caro, principalmente se quiserem ficar num quarto privativo e bem localizados. Os mais baratos que encontrei, apesar de terem uma localização super central, não custam menos de 70€/noite (vejam o Hotel Schroder, o Budget Hotel Hortus, o Floris Hotel ou o Euphemia Budget Old City), mas o booking está sempre a fazer novas ofertas. Se o orçamento for limitado, não pensem duas vezes e fiquem numa camarata ou aproveitem o couchsurfing e ainda ganham uma excelente experiência com os locais (e quem sabe um guia). Uma outra alternativa barata, mas que vos permite ter alguma privacidade, é alugar um abrigo (os pré-fabricados que apenas têm camas) no parque de campismo mais central.

Estão a pensar visitar Amesterdão nos próximos tempos? Se já conhecem, o que mais gostaram nesta cidade? Concordam comigo relativamente ao seu excelente ambiente?

 
 
 
 
 
PLANEIA AQUI A TUA PRÓXIMA VIAGEM !

  Vais viajar? Se fizeres as tuas reservas através dos links dos posts aqui no blog vais contribuir para o crescimento do Aonde (não) estou, sem gastares nem mais um cêntimo por isso. Faz a tua reserva pelo BOOKING – site que utilizo há anos e te garante o melhor preço possível -, ou pelo AIRBNB – e ganha 30€ para a tua primeira viagem.