como-chegar-machu-picchu

Para quem está a planear uma viagem ao Peru, a passagem pela cidade Inca de Machu Picchu é praticamente obrigatória – afinal, não é por acaso que a cidade na montanha velha é considerada uma das 7 maravilhas do mundo. Como chegar ao Machu Picchu será das primeiras questões a resolver ao planear a visita à cidade descoberta por Hiram Bingham em 1911 e com este artigo espero dar uma ajuda. Da opção mais barata à mais cara, vou listar uma série de hipóteses que podem explorar.

Considerando que Aguas Calientes (também conhecida como Machu Picchu Pueblo) é a povoação mais próxima do sítio arqueológico e que é a partir desta que se inicia a subida para a montanha velha, todas as hipóteses, às excepção da ida/volta por comboio, obrigam a pelo menos uma noite na povoação, que deve ser contabilizada à parte dos valores aqui apresentados.

[VER OPÇÕES DE ALOJAMENTO EM AGUAS CALIENTES]

chegar-ao-machu-picchu

1. A pé desde Ollantaytambo

Esta é sem dúvida a opção mais económica para chegar ao Machu Picchu. Implica apenas um autocarro de Ollantaytambo até ao quilómetro 82 da linha de comboio que custa cerca de 3 soles! A partir daqui, são 28 quilómetros a pé até Aguas Calientes. Se estiverem em Cusco apenas devem ter em conta que têm de apanhar um colectivo para Ollantaytambo (2 horas, cerca de 10 soles), que se apanha na estação entre a Av. Grau e a Calle Pavitos. Podem ver todos os detalhes sobre este percurso neste artigo do Viajei Bonito.

  • Tempo para chegar a Aguas Calientes: 1 dia.
  • Custos (viagens, ida): entre 3 a 13 soles / entre 0,75 cêntimos a 3€.

 

2. Só por transportes locais

Esta é outra opção muito económica para chegar a Aguas Calientes. Terão de apanhar um autocarro na estação da Av. Antonio Lorena em Cusco, junto à Plaza Almudena. A viagem será, no mínimo, 5 horas de autocarro até Santa Maria e custa cerca de 15 soles (actualmente talvez um pouco mais). A partir de Santa Maria apanham um colectivo (10 soles) ou um taxi (60 soles) até à Hidroeléctrica e fazem uma viagem de pelo menos uma hora. Para perceberem exactamente o que implica, aconselho a leitura da experiência da Marta, que chegou ao Machu Picchu desta forma.

  • Tempo para chegar a Aguas Calientes: 1 dia.
  • Custos (viagens, ida): entre 25 a 70 soles / entre 6 a 17 euros.

 

3. De autocarro até à Hidroeléctrica

Depois de muito pesquisar sobre como chegar ao Machu Picchu, esta foi a minha opção. É semelhante à anterior visto que engloba várias horas num autocarro, mas dispensa o stress associado a termos de nos orientar com os transportes locais. A solução? Pedir a uma agência que nos leve até à Hidroeléctrica e caminhar a partir daí. Foram 7 ou 8 horas de viagem com duas paragens pelo meio, uma a meio da manhã e outra pela hora de almoço. Por fim, fiz uma espectacular caminhada de uma hora e pouco da Hidroeléctrica a Aguas Calientes. Podem ler todos os pormenores sobre a minha experiência neste artigo

  • Tempo para chegar a Aguas Calientes: 1 dia.
  • Custos (viagens, ida): 40 soles / 10 euros.

 

4. De comboio

A partir desta opção os preços sobem – e muito. Existem duas companhias a fazer o percurso para Aguas Calientes – a Peru Rail e a Inca Rail. Entre Maio e Dezembro a Peru Rail faz a ligação de Cusco (estação de Poroy, a 20 minutos do centro) até Aguas Callientes. No entanto, fora desta época, ao comprarem os bilhetes de comboio por qualquer uma das companhias está automaticamente incluído o autocarro transfer até à estação de comboios de Ollantaytambo. Confirmem com a companhia que escolherem o local onde devem apanhar o autocarro que vos leva aos comboios. Podem comprar os bilhetes pela internet ou em Cusco, onde ambas as companhias têm sede – porém recordem-se que quanto mais cedo comprarem mais opções de horários e preços têm.

  • Tempo para chegar a Aguas Calientes: a partir de Cusco a viagem dura aproximadamente 3h30; a partir de Ollantaytambo dura cerca de 1h30.
  • Custo (viagens, ida): Dependendo da classe e da origem, pode custar entre 179 a 1440 soles / 45 a 360 euros.

 

5. Pelo Vale Sagrado até Ollantaytambo

Esta é uma variante da anterior, uma forma de juntar duas experiências numa só. O que fazem é comprar uma tour pelo Vale Sagrado numa das várias companhias que organizam esta tour diariamente e, em vez de fazerem o percurso completo, saem em Ollantaytambo. A tour passa por Pisac, Chichero, Moray e Ollantaytambo.  A partir daqui  é apanhar o comboio até Aguas Calientes por uma das companhias mencionadas antes. 

  • Tempo para chegar a Aguas Calientes: 1 dia.
  • Custo (viagens, ida): 180 soles pela tour e pelo boleto turístico obrigatório para entrar nos vários locais / cerca de 45€, ao que acresce o bilhete de comboio.

 

6. Trilha Salkantay

Para quem tem vários dias de viagem reservados para esta zona, uma preparação física razoável e algum dinheiro para gastar, fazer uma trilha a pé é sem dúvida uma forma de ter uma experiência diferente. A Trilha Salkantay tem a duração de 5 dias (4 noites) e existem várias empresas a fazer a tour. Em princípio o valor que vão pagar deve incluir refeições, dormidas, o guia, a entrada no Machu Picchu e o regresso a Cusco. Em alternativa, podem optar por fazê-la sozinhos, sem guia, tal como esta família fez

  • Tempo para chegar ao Machu Picchu: 5 dias.
  • Custo (total, em tour): entre 600 e 2400 soles / entre 200 e 600€.

 

7. Trilha Inca Clássica

A Trilha Inca é a mais famosa de todas as trilhas, pelo que é necessário reservar com antecedência. Apenas 500 pessoas podem circular nesta trilha por dia e têm de estar obrigatoriamente acompanhados de um guia de uma agência turística autorizada pelo governo. Tal como na anterior em princípio o valor da tour inclui tudo o que necessitam nos 4 dias, inclusivamente a entrada para o Machu Picchu e o regresso para Cusco.

  • Tempo para chegar ao Machu Picchu: 4 dias.
  • Custo (total): entre 1200 e 2400 soles / entre 300 e 600 euros.

 

8. Outras trilhas

Existem outras trilhas menos conhecidas mas que podem explorar como hipótese para chegar ao Machu Picchu. Entre elas a Trilha Choquequirao (vejam aqui os detalhes) e a Trilha Lares, que explora o Vale Sagrado dos Incas (vejam a experiência da Patrícia) parecem as mais interessantes. Com a crescente afluência de turistas ao Machu Picchu é provável que sejam criadas muitas mais trilhas e que cada vez existam mais opções para chegar à antiga cidade Inca.

chegar-ao-machu-picchu

Chegar ao Machu Picchu: subir à montanha velha

Para chegar ao Machu Picchu desde Aguas Calientes ou sobem a pé, num longo percurso composto apenas por escadas que é bastante cansativo e dura cerca de duas horas; ou apanham um autocarro que parte do centro de Aguas Calientes (é fácil perceber porque há sempre uma fila gigante) que custa 12€ por cada viagem e faz o percurso em cerca de 20 minutos. Eu optei por ir a pé e não posso aconselhar nem desaconselhar: não escondo que foi muito (muuuuiitoo) cansativo mas a verdade é que me deixa feliz poder dizer que subi a pé até ao Machu Picchu!

A ter em atenção: restrições 

Desde 2017 que o governo peruano impôs uma série de restrições a quem visita Machu Picchu. Têm de escolher um dos turnos de visita (das 6h às 12h ou das 12h às 17h30) e têm obrigatoriamente de estar acompanhados por um guia turístico. Não sei o quão diferente é a experiência já que na altura em que fui, em 2016, pude explorar as ruínas sem guia e durante um dia inteiro, completamente à vontade. Mas estas são as regras e de momento é impossível fazê-lo de outra forma. Os bilhetes para o Machu Picchu podem ser comprados em http://www.machupicchu.gob.pe/ ou, em alternativa, em Cusco – ainda que esta opção possa ser arriscada visto que é vendido um número limitado de bilhetes por dia.

 

(+) Machu Picchu em fotografias | Uma homenagem ao sonho

(+) Cusco, cidade entre montanhas

 


 

QUERES VIAJAR MAIS?
  Subscreve AQUI a newsletter do blog para receberes todos os conteúdos exclusivos, dicas e sugestões para viajares mais, gastando menos!
 
 
PLANEIA AQUI A TUA PRÓXIMA VIAGEM !
Se encontraste no Aonde (não) estou a inspiração que precisavas ou dicas que te ajudaram a marcar a próxima viagem, então ajuda-nos também a crescer – é muito simples e não vais gastar um único cêntimo! Utilizando os links de afiliados espalhados pelo site para marcares a tua próxima viagem e vais estar a apoiar o blog sem gastar mais por isso. Para ti, tudo fica igual. Para o Aonde (não) estou, é um importante apoio. Faz a tua reserva pelo BOOKING – site que utilizo há anos e te garante o melhor preço possível -, ou pelo AIRBNB – e ganha 30€ para a tua primeira viagem.