O ano que hoje termina trouxe-me tanta coisa boa que era impossível terminá-lo sem um artigo deste género. Se recuássemos um ano, encontraríamos uma Ana assustadíssima pelo facto de ter terminado a faculdade e estar a deixar para trás tudo aquilo que conhecia tão bem, ser obrigada a sair da sua zona de conforto e enfrentar esse “novo mundo” – o do trabalho -, desesperada por viagens e aventuras que não teve a possibilidade de ter em 2015 e sem saber o que lhe esperava no novo ano. Recordo-me que não fiz resoluções, não estabeleci qualquer tipo de objectivos numa lista que teria grande probabilidade de não vir a ser cumprida e limitei-me a prometer a mim mesma que levaria a vida com mais calma que nos anos anteriores, aproveitando mais os momentos e não deixando fugir qualquer oportunidade que me aparecesse. E foi desta forma que me atirei de cabeça a 2016! O resultado foi um ano cheio de boas experiências, de espectaculares aventuras, de muitas antigas resoluções (finalmente) cumpridas e de desafios superados, um conjunto de coisas que fizeram com que chegue ao fim deste ano e sinta uma colossal diferença relativamente há um ano atrás: agora sei para onde quero rumar e isso já não me deixa com (tanto) medo.

Aqui pelo blog as aventuras também foram muitas e reflectiram uma boa parte daquilo que tive a oportunidade de experimentar e conhecer este ano. Vamos relembrar?

Viagens | Experiências

  • Logo no início do ano regressei à Serra da Estrela com o meu eterno companheiro de aventuras e conhecemos algumas das aldeias da zona, como Sortelha . Boa parte da viagem aconteceu comigo a tentar combater a primeira amigdalite que tive em muitos anos, com uma boa dose de febre e mal estar: mas a viagem estava marcada e eu estava desesperada por partir, pelo que fui mesmo assim. A pequena viagem pelo meu país foi fantástica e até vimos nevar na Serra – e eu sobrevivi à amigdalite. Haha!
  • Pouco depois, numa curta passagem pelo Alentejo em que revisitámos a casa de família, aproveitámos para dar um pulo a Espanha e conhecer a Gruta de las Maravillas em Aracena. Há muito que as queria visitar e, estando ali tão perto, não poderia adiar mais.
  • No início do Verão fiz um pequeno passeio com a família por Quintandona, aldeia de xisto vizinha do Porto recuperada recentemente e que merece ser conhecida… e ainda hei de regressar na altura da festa do caldo!
  • O início de Agosto trouxe-me a oportunidade de cumprir uma resolução antiga e ainda conhecer uma das cidades mais espectaculares que alguma vez vi. Voltei a viajar com o meu pai – tal qual como fazíamos quando era miúda – e fomos a Nova Iorque. A semana foi espectacular e, apesar de todos os imprevistos que tive com o planeamento da viagem, esta acabou por correr belíssimamente – e eu acabei deslumbrada pela cidade.
  • Menos de um mês depois da visita à «capital do mundo», cumpri o grande sonho que tinha para 2016: ir à América do Sul. Dia 8 de Setembro de 2016 eu e o meu eterno companheiro de aventuras embarcámos num voo até Lima, no Peru, e tivemos um dos meses mais fantásticos das nossas vidas (ou terá sido o mais fantástico?). Foi uma viagem intensa e diferente de tudo o que tinha feito até então, que correu maravilhosamente – e inesperadamente, refira-se – bem. Quando regressámos ambos soubemos que não queríamos imaginar uma vida que não nos desse direito a isto – pelo menos de vez em quando! – e que, nesse caso, não descansaríamos até a termos.
  • Já com o ano a chegar ao fim, e como se as viagens anteriores não bastassem, embarquei sozinha rumo à Bélgica e aos seus mercados de natal (prometo contar tudo em breve!). Uma viagem motivada por trabalho mas que aproveitei para passear e conhecer Bruxelas, Antuérpia, Gent e a bela Bruges – se me acompanham pelo instagram ainda tiveram um cheirinho desta minha viagem através das “histórias que contei”.

Partilha

  No Aonde (não) estou a vida foi acontecendo. Não com a frequência que ambicionava, mas lá fui escrevendo sobre histórias e conteúdos que tanto gosto de partilhar, o blog foi-se direccionando até que – tal como a sua autora – encontrou o seu caminho e por fim arranjou uma nova casa, tendo agora como plataforma a WP. Fiquei feliz por perceber que alguns dos posts mais lidos foram também alguns dos que me deram mais gosto escrever e que a variedade de conteúdos reinou. Aqui ficam os “derradeiros”.

1. Voo atrasado ou cancelado? Conhece os direitos dos passageiros aéreos da UE, um post cuja escrita adiava há muito e que em Novembro finalmente viu a luz do dia. Implicou pesquisa, demorou muitas horas para ser escrito e fiquei francamente radiante por saber que foi um dos mais lidos.

2. Aqui vou juntar um conjunto de posts já que, caso contrário, teríamos a lista toda dedicada ao tema: os posts sobre Nova Iorque tiveram, de forma naturalmente espectável – não fosse esta uma das cidades mais desejadas do mundo – um grande número de visitas e, mais uma vez, foram também dos que mais gostei de escrever.

3. O meu passeio por Quintandona, a Aldeia de Xisto vizinha do Porto

4. Aquele que foi um pouco “fora da caixa” (para o conteúdo que o blog costuma ter) e escrevi sobre DIY | Decoração para a casa inspirada em viagens

5. As dicas sobre Como viajar sem pagar estadia | 6 Formas de Poupares Dinheiro em Alojamento

6. Um dos que mais gostei de escrever, porque representou uma pequena homenagem aos que me inspiram: 6 Blogues de Viagem em Português que têm mesmo de conhecer

7. Curiosamente, aquele em escrevi sobre as razões Porque não gostei de Roma | Itália (mas que espero que nunca vos influencie a não visitar a cidade!)

 

Foi um ano espectacular e que por certo não vou esquecer. Para 2017 as resoluções vão voltar a ser as mesmas: nenhumas. Mas os sonhos, esses… oh, esses são demasiados!

Um bom ano minha gente!