Digam o que disserem, ir à Holanda sem ver um moinho é como ir a Paris sem ver a Torre Eiffel. Logo quando começámos a planear a nossa ida a Amesterdão sabíamos que não queríamos ficar apenas pela cidade, que reservaríamos uns dois dias para conhecer as redondezas, o campo e a típica paisagem holandesa. Por isso, e apesar de sabermos que era um sítio turístico, numa das manhãs entrámos num autocarro com bolachas holandesas na mão e fomos directos a Zaanse Schans.
 
 
Estão a imaginar um postal da Holanda, com os moinhos de vento, paisagens verdejantes, gado a pastar, as casas típicas, as socas, as flores e pessoas a andar pacificamente nas suas bicicletas? Isto é Zaanse Schans. Um autêntico museu a céu aberto representativo do passado da região, inaugurado na segunda metade do século XX.
 
 
 
Zaanse Schans é uma pequena vila junto ao rio Zaan, numa região que, segundo sei, é a mais antiga zona industrial da Europa Ocidental. Em dado momento funcionaram, naquela zona, cerca de 600 moinhos de vento, que produziam desde papel, tinta ou até o pigmento da mostarda (e ainda hoje se vende a mostarda de Zaanse Schans). Os 10 moinhos que encontramos na vila são representativos desta história, estando ainda todos activos e a fabricar diferentes produtos.
 
 
Apesar de ser um local turístico, por sorte, no dia em que o visitámos não estava nem perto de lotado. O passeio foi agradável, sem pressas, filas ou confusões. É fácil perdermos várias horas lá. Não me recordo mas, se bem me conheço, devo ter ido com sandes atrás, pois há vários banquinhos e zonas onde nos podemos sentar a comer.
 
 
 
 
 
As atracções de Zaanse Schans não se prendem apenas com os moinhos, visto que existem várias áreas onde podemos aprender como se fabricavam determinados produtos e matérias-primas. Das típicas socas, aos queijos holandeses, às tintas, há várias zonas a funcionar, dentro e fora dos moinhos, onde se encontram pessoas a explicar o processo de produção.
 
 
 
 
 
Podem visitar vários moinhos, cujo interior se diferencia conforme o que produzem. Os horários são diferentes e, dado que se paga a entrada à parte em todos (3€), optámos por visitar apenas um, que produzia pigmentos de tinta. As fotografias que tenho do seu interior não têm muita qualidade, mas posso garantir-vos que valeu a pena. No centro do moinho há uma roda gigante, que gira ao sabor do vento enquanto faz a moagem do pigmento. Haviam vários frasquinhos com pigmentos de diversas cores e um senhor que explicava todo o processo.
 
 
 
 
Para além de todas as coisas visitáveis, o passeio é super agradável. Escolham um dia bom, pois o espaço é completamente ao ar livre. Podem fazê-lo a pé ou optar por alugar uma bicicleta. Vão ver gado a pastar, galinhas à solta pela estrada, uma paisagem tão verde e bonita que só apetece correr e saltitar ao estilo Música no Coração.
 
 
 
 

Como chegar?

Têm duas opções: autocarro ou comboio. Nós optámos por ir de autocarro, pois este parava mesmo à porta de Zaanse Schans (se forem de comboio ainda vão ter de andar uns 20 minutos a pé entre a estação e o parque). Na altura – 2012 – a viagem de autocarro era cerca de 8€ ida e volta, mas é possível que já tenha aumentado. A viagem demorou cerca de 40 minutos mas foi bastante agradável pois, mal se sai de Amesterdão, começam as paisagens bonitas. O autocarro é o 391 da Conexxion, que sai de meia em meia hora junto da Centraal Station. Para voltarem, apenas têm de se dirigir ao mesmo sítio onde o autocarro vos deixou, pois é daquelas linhas que funciona em círculo.
Se optarem pelo comboio, têm de apanhar o que vai em direcção a Koog-Zaandijk (Alkmaar > Koog-Zaandijk), também na Centraal Station. A viagem é mais curta mas, como já referi, a estação não fica junto a Zaanse Schans.
 

 

A entrada em Zaanse Schans é cerca de 10€ e creio que vos dá acesso a um moinho e à área de produção dos queijos e socas. Tudo o resto é pago à parte – podem ver mais informações AQUI. O horário do parque é fixo, mas todas as fábricas e moinhos têm horários próprios, que podem consultar AQUI.
 
 
 
Digam-me, não é exactamente esta a imagem que têm da Holanda? Não parece um autêntico postal? Contem-me se já lá estiveram ou se ficaram curiosos!
 
 

 

 
 
PLANEIA AQUI A TUA PRÓXIMA VIAGEM VIAGEM!
  Vais viajar? Se fizeres as tuas reservas através dos links dos posts aqui no blog vais contribuir para o crescimento do Aonde (não) estou, sem gastares nem mais um cêntimo por isso. Faz a tua reserva pelo BOOKING – site que utilizo há anos e te garante o melhor preço possível -, ou pelo AIRBNB – e ganha 30€ para a tua primeira viagem.